• Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square

Não faça para os outros, o que eles podem fazer sozinhos

1/5
Please reload

TRAUMA TEM CURA

1/6
Please reload

TEATRO ESPONTÂNEO COMO ABORDAGEM TERAPÊUTICA

1/10
Please reload

Faça, mas não espere nada em troca

 

Interessante observar a postura de algumas pessoas, que dizem: “Ah, sabe porque ajudo e procuro fazer o bem? Porque se um dia eu precisar, vou encontrar alguém que retribua o que faço.”

 

Não é bem assim que as coisas acontecem! Se fazemos algo por alguém pensando desse jeito, já começamos errado.

 

Esperar reconhecimento pelo bem que praticamos é uma péssima forma de pôr em prática a caridade. Se o que nos move é interesse, melhor não fazer nada.

São bem poucos os que sabem expressar gratidão. A grande maioria deturpa tudo e acha que temos obrigação, não compreendem que ajudamos porque queremos, porque nos sensibilizamos com o sofrimento alheio, etc.

 

 

Muita gente não sabe ser merecedor(a) das almas boas que Deus coloca em seu caminho e, aproveitando da boa vontade de gente bem intencionada que lhes oferece ajuda, metem os pés pelas mãos e começam um verdadeiro círculo vicioso de exploração da boa fé alheia.

 

 

Muito meritório,  sem dúvidas nenhuma, auxiliar os que precisam, entretanto, necessitamos observar quem circula em nosso entorno,e não ser permissivos, deixando que tirem vantagens em cima de nós, aproveitando-se da nossa bondade e espírito cristão.

 

 

A vida anda difícil, tem muita gente malandra que não quer fazer nada a não ser “colar” em pessoas de bem, sugando o máximo que podem.

 

Por outro lado existe também gente boa, sincera, bom caráter, porém, é necessário muita atenção da nossa parte para distinguir com o devido critério.
 
Como já dizia Jesus, é preciso separar o joio do trigo e ter consciência de que estamos procedendo de maneira correta. Devemos, sim, ajudar dentro das nossas possibilidades; óbvio, sem esperar nada em troca, desde que não sejamos bobos, sabendo diferenciar quem merece ou não ajuda.
 

 

Uma coisa é ser bom outra bem diferente é ser ingênuo demais, achando que todo mundo que se aproxima da gente é do bem.
 

 

Corretíssima a máxima de São Francisco de Assis inserida em sua prece: É dando que se recebe. Lógico, existe a Lei do Retorno. Se praticamos o bem, recebemos o bem de volta e vice-versa. Porém não pensemos em recompensas ao estender a mão para ajudar o próximo que realmente precisa e merece.

 

Deus tudo sabe e no momento certo sua misericórdia nos alcançará. Portanto, vale muito a pena ser bom!
 
Direitos autorais da imagem de capa: galdzer / 123RF Imagens
 
https://osegredo.com.br/2017/12/faca-mas-nao-espere-nada-em-troca/
Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Categorias

Tipos de bullying nas escolas

1/10
Please reload