• Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square

Não faça para os outros, o que eles podem fazer sozinhos

1/5
Please reload

TRAUMA TEM CURA

1/6
Please reload

TEATRO ESPONTÂNEO COMO ABORDAGEM TERAPÊUTICA

1/10
Please reload

Com as ondas aprendi a me retirar e voltar com mais força/Por: Aran Andrade

06/03/2017

 

Saber se retirar a tempo quando estamos diante de uma situação complexa, refletir, pensar no acontecido, compreender como nos sentimos, e voltar para tentar novamente uma vez que tivermos recuperado as forças, é um ato de coragem.

 

Escolher o momento adequado para sair de um relacionamento, de uma discussão com outra pessoa ou de um trabalho que não nos satisfaz requer força de vontade e superar o medo das consequências. Às vezes vivemos situações que nos desgastam e não somos capazes de sair para recuperar forças.

 

A busca da felicidade

 

Existem circunstâncias nas quais é preciso pensar na própria felicidade pessoal e caminhar para a paz interior para reconquistar forças. São situações onde é fundamental procurar ter coerência entre o que pensamos, sentimos, dizemos e fazemos.

 

“A felicidade é interior, não exterior; portanto não depende do que temos, mas sim do que somos.”
-Pablo Neruda-

 

A felicidade é um termo que parece utópico e o remetemos ao passado “no verão de ano 2000 fui feliz”. Os pesquisadores da psicologia positiva chegaram a um consenso quanto a definição do conceito de felicidade com base em três aspectos:

  • Experiências de afeto positivo frequente (alegria, prazer, amor, carinho).

  • Experiências de afeto negativo não frequentes (tristeza, estresse, ansiedade, medo, dor).

  • Atos níveis de satisfação vital.

     

     

     

     

Isto é, uma pessoa feliz é aquela que vive muitas experiências de afeto positivas, poucas negativas, e que se sente satisfeita com a sua vida. Contudo, não podemos esquecer que não existe uma felicidade objetiva, mas sim um estado subjetivo de felicidade em cada um de nós.

 

A busca deste estado subjetivo de felicidade é o que nos impulsiona a ir embora quando percebemos que uma situação é desconfortável ou simplesmente não nos faz felizes, e a voltar uma vez que tenhamos recuperado nossa energia vital.

 

A inteligência emocional e o seu valor para voltar com mais força

 

“A habilidade de fazer uma pausa e de não agir pelo primeiro impulso se tornou um aprendizado crucial na vida cotidiana.”
-Daniel Goleman-

 

Quanto as emoções, existem especialistas que pensam que podemos controlá-las totalmente e outros que opinam que não podemos fazer nada para tê-las sob controle. Contudo, também existem pesquisas que concluíram que a forma como a pessoa interpreta suas emoções pode mudar a maneira como as vive.

 

A felicidade do ser humano está diretamente relacionada a determinadas emoções. É aí que entra em cena a inteligência emocional como a capacidade de compreender as próprias emoções e as dos outros.

 

Por exemplo, se você tem medo de falar em público você pode pensar que esse nervosismo é negativo, mas se você os interpreta como uma vontade de fazer a coisa direito, é mais provável que tenha sucesso. Trata-se simplesmente de compreender como nos sentimos e administrar essas emoções a nosso favor.

 

Não é uma fuga, é uma reflexão para poder voltar

 

Muitas vezes a solidão nos permite um tempo de conhecimento de nós mesmos, de reflexão sobre nossas vidas. A solidão nos dá espaço e lugar para poder identificar nossas forças e fragilidades e trabalhar naquilo que precisamos melhorar.

 

“Faça as pazes com a solidão. Ela o pega pela mão para você se conhecer mais, para estar frente a frente com seu ser. Sozinho e sem ninguém para incomodar.”
-Walter Riso-

 

Por esse motivo, não se pode encarar a solidão como uma coisa negativa, mas sim como uma colaboradora do processo de autoconhecimento necessário em diferentes momentos da nossa existência. Às vezes precisamos recuperar as forças e a energia, voltar a nossas origens, e a paz da solidão nos ajuda nisso.

 

Como administrar suas emoções para recuperar a energia

 

O uso da inteligência emocional passa por identificar nossas emoções e estado de ânimo: reconhecer quando estamos chateados, nervosos ou tristes, para poder agir na origem da emoção e, em último caso, sobre a emoção propriamente dita. A seguir apresentamos algumas ferramentas para administrar as emoções negativas.

 

Pense nas suas virtudes, e não nas suas fragilidades
 

Se você parar para pensar por um momento em tudo que você diz quando alguma coisa ruim lhe acontece, irá perceber que é você mesmo que alimenta essa emoção e isso faz com que, pouco a pouco, ela se torne maior. Assim, se no início era fácil de administrar, quando estiver contaminado tudo pode se transformar em um grande desafio.

 

Se você comete um erro no trabalho, não é preciso se torturar, e sim aprender. Não deixe o desânimo crescer; lembre-se de todas as vezes em que você fez as coisas direito. Dessa forma você consegue relativizar o acontecido, administrando as emoções negativas, e poderá voltar à sua paz interior.

 

“A razão é fria, mas enxerga com clareza. A emoção precisa dar calor, mas sem perder essa clareza.”
-J. Balmes-

 

Desvie a sua atenção para outras coisas
 

Assim como acontece com as crianças pequenas quando choram e procuramos distraí-las com um brinquedo, se essa emoção negativa começa a nos invadir, podemos nos concentrar em outra tarefa para desviar nossa atenção e voltar à nossa tranquilidade interior. O controle da atenção tem um papel muito relevante para impedir que os ciclos emocionais negativos se retroalimentem.

 

Desta forma você se afasta da emoção negativa e se concentra em outro objetivo até que passe um tempo e essa emoção vá desaparecendo pouco a pouco. É uma estratégia que pode ser usada em algumas situações, porque é aconselhável administrar essa emoção e conhecer a sua origem e sua causa.

 

Aposte na meditação
 

Diferentes pesquisas científicas demostraram que a meditação ajuda a prevenir os pensamentos e as emoções negativas. Meditar pode nos ajudar a administrar medos e a reduzir a ansiedade, já que trabalha a respiração e a concentração.

 

Procure um lugar tranquilo, respire de forma pausada, sinta como entra e sai suavemente o ar dos seus pulmões, enquanto a sua mente e os músculos do seu corpo começam a relaxar cada vez mais. Pratique a meditação todos os dias e você alcançará bons resultados pouco a pouco.

 

Por: Aran Andrade

FONTE:https://amenteemaravilhosa.com.br

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Categorias

Tipos de bullying nas escolas

1/10
Please reload