• Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square

Não faça para os outros, o que eles podem fazer sozinhos

1/5
Please reload

TRAUMA TEM CURA

1/6
Please reload

TEATRO ESPONTÂNEO COMO ABORDAGEM TERAPÊUTICA

1/10
Please reload

Existem pessoas que têm o seu próprio umbigo em vez de um coração

16/01/2017

 

É preciso desejar boa sorte a quem age com maldade, pois irá precisar dela cedo ou tarde. Os atos ruins não ficam impunes, mesmo que muitas vezes pensemos que o resultado não está adequado aos atos empreendidos por essas pessoas que se comportaram essencialmente de forma egoísta e malvada.

 

De qualquer forma, não convém cair no autoengano, de modo que precisamos saber que muitas vezes essa retribuição não é visível. A escuridão que os atos de egoísmo e maldade provocam em uma pessoa obtém seu máximo esplendor a nível interno.

 

Uma pessoa que só pensa em si mesma e que age segundo seus próprios interesses sem se importar com quem estiver à sua frente acaba pagando um alto preço.

Com grande probabilidade, a sua vida se tinge de solidão e de rejeição, esgotando a sua capacidade potencial de obter bem-estar.

 

Existem as pessoas que obtêm gratificação direta através da realização de atos ruins. Estas pessoas apenas geram sentimentos aproximados de ódio e temor ao seu redor e, como sabemos, viver sozinho consigo mesmo acaba sendo terrivelmente doloroso.

 

Como em tudo, existem níveis de egoísmo, de maldade e de despeito. Contudo, esteja ou não explícita esta vida interior negativa, sempre recai em uma grande ausência de paz interior, o que provoca compaixão e tristeza na pessoa de bons sentimentos.

 

 

 

A hipótese do mundo justo, um autoengano comum

 

Quando não gostamos de alguma coisa que é desagradável ou injusta, recorremos à ideia do destino como justiceiro. Contudo, esta é apenas uma forma a mais de fechar os olhos para não contemplar aquilo que gostaríamos que fosse de uma determinada forma, mas que além disso, não podemos controlar.

 

Pensar que cada um recebe o que merece nos faz sentir que tudo está bem e que nossa felicidade não corre perigo, pois o mal só acontece com quem o merece porque se comportou mal ou porque se mostra insensível.

Existem pessoas cheias de maldade às quais gostaríamos que o tempo desse o que merecem, de modo que fantasiamos essa ideia de que o mundo é justo e de que qualquer bem que a alcance será apenas um reflexo.

Gostamos disto e precisamos acreditar nisso para viver com tranquilidade. Nossa própria mente nos faz sentir a ideia de que podemos controlar tudo, mas o fato é que só podemos administrar uma parte das nossas experiências.

 

 

O egoísmo, manancial de relacionamentos ruins

 

Existem pessoas que têm o seu próprio umbigo em vez de um coração. Pessoas que só acreditam em si mesmas e apenas se movem segundo seus interesses, deixando de lado os sentimentos dos outros.

 

Isto provoca um enorme mal-estar, de modo que podemos afirmar que o egoísmo é a fonte que gera relacionamentos ruins baseados na injustiça e na dor mais profunda.

 

Não podemos controlar como são os outros, mas podemos conseguir que nos afetem o menos possível. Nos anteciparmos às coisas negativas e nos mantermos vigilantes ajuda o lixo a ir embora sozinho.

 

Viver alheios à realidade de que existe gente que não semeia bons sentimentos é uma coisa que só afeta a nós mesmos. 

Tomar distância emocional e observar pausadamente os gestos dos outros nos ajudará a antecipar e a não validar aquilo que as más estratégias de certas pessoas pretendem.

 

 

 

Fonte: A Mente é Maravilhosa

Por: Raquel Brito

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Categorias

Tipos de bullying nas escolas

1/10
Please reload