• Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square

Não faça para os outros, o que eles podem fazer sozinhos

1/5
Please reload

TRAUMA TEM CURA

1/6
Please reload

TEATRO ESPONTÂNEO COMO ABORDAGEM TERAPÊUTICA

1/10
Please reload

Conhecendo a mandala

03/01/2017

 

Mandala

 

É uma palavra sânscrita, que significa Círculo. Mandala também possui outros significados, como círculo mágico ou concentração de energia.

 

Universalmente a mandala é o símbolo da totalidade, da integração e a harmonia. Em várias épocas e culturas, a mandala foi usada como expressão científica, artística e religiosa. 

 

Podemos ver mandalas na arte rupestre, no símbolo chinês do Yin e Yang, nos yantras indianos, nas mandalas e thankas tibetanas, nas rosáceas da Catedral de Chartres na França,  nas danças circulares, nos rituais de cura e arte indígenas, na alquimia, na magia, nos escritos herméticos e na arte sacra dos séculos XVI, XVII e XVIII.

 

A forma mandálica pode ser encontrada em todo início, na Terra e no Cosmo: a célula, o embrião, as sementes, o caule das árvores, as flores, os cristais, as conchas, as estrelas, os planetas, o Sol, a Lua, as nebulosas, as galáxias. 

 

Se observarmos o cotidiano a nossa volta, perceberemos estruturas mandálicas onde nunca pensaríamos haver, como no gostoso pãozinho ou no macarrão que comemos: começam com a massa que depois de amassada vira uma bola – mandala tridimensional – para crescer. 

 

O prato onde comemos tem a forma circular, e quando nos servimos formamos uma mandala colorida, que irá nos alimentar e nos nutrir, dando energia e vitalidade ao nosso corpo. 

 

A própria Terra foi formada por uma explosão de forma mandálica.

 

 

Onde Utilizar as Mandalas

 

A mandala pode ser utilizada na decoração de ambientes, na arquitetura, ou como instrumento para o desenvolvimento pessoal e espiritual. A meditação mandala pode restabelecer a saúde interior e exterior. Podemos usar uma mandala para a harmonização emocional, que refletirá positivamente em nosso estado físico, e assim ficaremos com mais saúde e vigor. 

 

Também podemos utilizar uma mandala para harmonização de ambientes, como o familiar e o de trabalho, ou para preparar um espaço especial, onde você irá meditar ou fazer sessões de cura.A mandala trabalha os seguintes aspectos pessoais: físico, emocional e energético.

 

No aspecto físico, promove-se o bem-estar, o relaxamento e a prevenção do estresse.

 

Emocionalmente, pode trabalhar conteúdos oriundos de emoções antigas, atuais ou futuras, pois sinaliza aqueles que irão emergir.

 

Neste trabalho (mandalas pessoais), é muito comum surgirem traumas passados, que são colocados no desenho de forma sutil, só percebidos por quem souber fazer a leitura do que está sendo sinalizado. Esta leitura se faz por meio do traço, da forma, das cores, dos símbolos e de vários outros aspectos que aparecem quando se desenha uma mandala pessoal. 

 

Qualquer pessoa pode se conhecer e se trabalhar com mandalas, tanto com a ajuda de um terapeuta, quanto sozinho. A pessoa pode fazê-lo confeccionando e colorindo mandalas, ou meditando com elas. 

 

A mandala irá colocar, de forma sutil, no lugar certo aquilo que se encontra fora de lugar. Carl Jung dizia que “A mandala possui uma eficácia dupla: conservar a ordem psíquica se ela já existe; restabelecê-la, se desapareceu. Nesse último caso, exerce uma função estimulante e criadora.” 

 

No aspecto energético, a mandala ativa, energiza e irradia, podendo harmonizar ambientes físico ou pessoal carregados negativamente, ou aura de sofrimento e tristeza. Ainda energeticamente, a mandala pode levar a pessoa a uma abertura da consciência e ao encontro de um caminho espiritual. Neste sentido, a mandala foi, e ainda é, muito utilizada para a meditação profunda.

 

No budismo tibetano os monges fazem-na de areia para depois serem ofertadas às divindades. É importante saber que para qualquer finalidade que se queira alcançar trabalhando com mandalas tem de se desenvolver a perseverança, a persistência e a força de vontade. 

 

 

Trabalhar com mandalas é uma forma carinhosa de abrir o coração para a criatividade, a intuição e o amor.Meditar com mandalas, trás benefícios de várias formas:

 

Prevenindo o estresse;

Preservando e organizando a saúde psíquica;

Aumentando a capacidade de atenção e de concentração;

Aumentando a capacidade de receptividade;

Aumentando a harmonia, a calma e a paz interior;

Aumentando a criatividade;

Ampliando a consciência;

Desenvolvendo o Eu Superior;

Encontrando um caminho espiritual.

 

 

Meditando com Mandalas

 

Escolha a mandala que mais lhe agradar, e medite com ela da seguinte maneira:       

 

Relaxe seu corpo, deixe seu espírito calmo e sereno, observe sua respiração;

 

Faça algumas respirações profundas e lentas, sem pressa, nesse momento sinta somente o respirar;

 

Contemple a mandala por algum tempo, pode ser por um minuto, dois ou dez;

 

Jogue em cada espiral da mandala sentimentos negativos de ódio, mágoas, tensão, culpas, abandono, tristeza, angústia, solidão, ansiedade, preocupação ou outros que tenha.

 

Veja esses sentimentos sendo transformados, em luz no centro da mandala. Essa luz é você, é seu Eu Superior, o sábio dentro de você;

 

Caso não tenha sentimentos negativos nesse momento, nâo faz mal, coloque todo sentimento de amor e bem-estar nas espirais da mandala com a intenção de ampliar esses sentimentos para além de você, até abarcar toda a humanidade, toda a Terra;

 

Finalmente entre em silêncio profundo,  apenas observando a mandala, sem fazer esforço algum. Quando sentir que está bem agradeça o momento e a Existência pela oportunidade de contatar com sua luz, transformar sentimentos ou compartilhar amor com outros seres viventes. 

 

Repita essa meditação quantas vezes sentir vontade a qualquer hora e em qualquer condições que estar. Ela serve tanto para momentos de angustia quanto para momentos de amor.

 

 

 

Fonte: ventosdepaz.blogspot.com.br 

Compartilhar
Compartilhar
Please reload