• Mente e Movimento

11 temíveis máscaras que a ansiedade usa para se manifestar



Quase com certeza, cada um dos leitores deste artigo conhece a sensação de se sentir angustiado, preocupado, nervoso, assustado ou em pânico. Em outras palavras, todos nós sabemos o que é sentir ansiedade.

A ansiedade, essa temida reação de nosso corpo e de nossa mente que às vezes nos prega peças. Como dissemos outras vezes, sentir ansiedade é normal e nos ajuda a manter a atividade para nos protegermos e executarmos algumas tarefas

No entanto, às vezes ela pode nos incapacitar e nos impedir de viver e desenvolver como pretendemos. Para saber se ela está nos afetando e, assim, encontrar uma solução, devemos conhecer, primeiro, quais são as formas que ela adota.

Seus 11 temíveis disfarces, as 11 caras da ansiedade

A primeira coisa devemos saber para começar a perder o medo da ansiedade é que ela pode usar diferentes máscaras. Uma vez compreendida, a ansiedade já não poderá mais usar a estratégia de se esconder, pois já a teremos descoberto.

Vejamos, então, quais são suas máscaras:

Preocupação crônica

A ansiedade pode dar as caras através de uma preocupação incessante sobre a família, a saúde, as metas acadêmicas ou profissionais, a situação econômica, etc. É provável que diante dessas preocupações sintamos que nosso estômago está se revirando e tenhamos a sensação de que algo ruim vai acontecer, mesmo que não saibamos o quê e por quê.

Medos e fobias

Um medo excessivo de agulhas, de sangue, de procedimentos médicos, de altura, de elevadores, de dentistas, de água, de animais como as aranhas ou os répteis, de cachorros, de tempestades, de lugares fechados, etc. Esse tipo de máscara é outra dura imagem que a ansiedade escolhe para se mostrar.

Ansiedade de performance

Às vezes a ansiedade faz com que nos paralisemos diante de um exame acadêmico, uma apresentação, uma competição esportiva ou qualquer outra situação que implique o bom desempenho na execução de uma tarefa.

Ansiedade de falar em público

O medo desproporcional de falar em público é outra das “formas favoritas” que a ansiedade tem de se mostrar. Sentimos que o mundo dá voltas a mil quilômetros por hora, trememos, ficamos nervosos e acreditamos que “dará um branco” em nossa mente naquele momento, no qual as coisas mais ridículas que fizermos ficarão mais evidentes.

Fobia social

Sentir-se nervoso, tenso e incapaz de articular palavras em reuniões sociais é outra máscara que a ansiedade usa para nos cumprimentar. Por nossa mente passam coisas como “não tenho nada interessante a dizer”, “não posso falar com ninguém”, “vão pensar que sou uma pessoa estranha e fracassada”, “não mereço que ninguém se interesse por mim”, etc.

Ataques de pânico

Transpiração, tonturas, bloqueio, rigidez, fortes palpitações, medo intenso… Já sentiu isso alguma vez, de repente, e achou que iria morrer? Se sim, nessa ocasião a ansiedade colocou um disfarce cruel: o ataque de pânico.

Agorafobia

Você tem medo de ficar fora de sua casa? Tem a clara convicção de que algo horrível pode acontecer com você na rua, na fila do supermercado ou no transporte público? Sente que vai sofrer, por exemplo, um ataque de pânico e que ninguém poderá lhe ajudar? A ansiedade vestiu a agorafobia, ou o medo intenso de estar em locais públicos.

Obsessões e compulsões

Existem pensamentos que o acometem de maneira incessante e que você não consegue tirar da cabeça. Ao mesmo tempo, algo em seu interior o obriga a realizar constantes rituais supersticiosos com o objetivo de controlar seu